• Mapa
  • Televendas (11) 3038-1551

Sala de Imprensa

High school: dicas para quem quer cursar o ensino médio nos EUA

Data: 12/03/2015
Fonte: Portal MSN

Estudar fora é chance de conhecer novs culturas, aprimorar conhecimentos e aprender a se virar sozinho

Fazer intercâmbio é uma experiência enriquecedora para qualquer um. Conviver com uma nova cultura, pelo tempo que seja, traz novas vivências, valores e faz a gente crescer. Para quem ainda é adolescente, uma das opções de intercâmbio é realizar o ensino médio, ou parte dele, fora do país. Um dos destinos mais comuns são os Estados Unidos, e lá o ensino médio chama-se high school, cursado por adolescentes entre 13 e 18 anos. Confira as principais dicas para quem quer fazer esse programa.

Estude sobre a cultura do seu novo país

Tem muito filme por aí que retrata a escola americana como um lugar cheio de atletas e líderes de torcida, certo? Será que é assim mesmo? É importante pesquisar bastante antes de viajar.
“Uma das primeiras coisas que a gente fala para os estudantes é que precisam entender bem a cultura americana. É bem comum que tenham uma ideia que, às vezes, não é baseada na realidade, uma ideia de colegial fantasiada”, diz Denis Florêncio, gerente de high school da Student Travel Bureau, empresa que desde 1971 trabalha com educação internacional.
Os Estados Unidos são um dos grandes produtores da mídia no mundo, com filmes, livros, música, televisão. Por isso, nem sempre a ideia que se tem no Brasil é a realidade. “É muito importante botar o pé no chão. Muita gente esquece que é um país extremamente religioso, é possível que a família que vai te receber frequente a igreja e que talvez você também precise frequentar, por exemplo”.

Aprenda a fazer por você mesmo 

Você sabe lavar roupa? E cozinhar? É possível que, ao chegar lá, você precise fazer tarefas domésticas para si mesmo.
Pergunte em casa como lavar roupas, cozinhar refeições básicas e arrumar a casa. “Adolescente brasileiro de 14, 15 anos geralmente não tem ideia dessas coisas. É legal que você aprenda a se virar antes de ir. Tem famílias que fazem isso por você, mas, na maioria das vezes, você terá que se virar”, lembra.

Converse com a sua escola no Brasil

Se você pretende voltar e terminar o ensino médio aqui no Brasil, é importante combinar com a sua escola brasileira como você pode continuar os seus estudos quando retornar.
Denis explica que, normalmente, dois processos podem acontecer: a escola brasileira pode impor quais disciplinas você deverá fazer na escola norte-americana, como condição para que você não perca o ano; ou você pode fazer uma avaliação sobre o conteúdo que você perdeu.
“A escola brasileira é soberana em decidir como não perder o ano escolar. Converse com eles antes da viagem”, esclarece. Não se esqueça de, quando retornar, trazer seu histórico escolar norte-americano para regularizar a sua situação no Brasil.

Envolva-se com alunos locais 

Até longe de casa, outros estudantes brasileiros também estão na mesma situação que você. É legal poder falar português de novo e encontrar quem entenda de onde você é e como é o Brasil. Mas evite andar só com brasileiros.
“É uma tendência nossa grudar em outros alunos brasileiros, mas evite que isso se torne a tônica do seu intercâmbio”, alerta Florêncio. Tente manter amizades locais, pois elas te colocam em maior contato com a cultura do país. “Elas não só te fazem entender melhor a rotina como são amizades ou contatos para a vida inteira”.

Aprenda a conviver com a saudade 

Depois de um tempo fora, é normal sentir saudade de casa. Não se preocupe, intercâmbio não é uma situação fácil.
“Você sente falta da família. O aluno costuma chegar no programa e ter um primeiro mês excelente, mas o segundo mês tem uma baixa, começa a sentir falta dos amigos, da comidinha da mãe, da visita da vó no fim de semana, sente saudades e vontade de voltar”, comenta. Mas calma! Florêncio garante que, nos primeiros meses, você até tem saudades de casa, mas depois você já está integrado na comunidade.

Escolha matérias do seu nível

Engana-se quem pensa que as escolas norte-americanas são mais fáceis do que as brasileiras. O sistema educacional de lá é diferente do brasileiro, mas isso não quer dizer menor dificuldade. Florêncio faz um aviso importantíssimo.
“Sempre frisamos a todos que viajam: lá, você pode escolher as matérias, e é importante que não desperdice escolhendo a matéria mais fácil. A escola deverá ter uns cinco níveis diferentes de matemática. Por que escolher álgebra 1 se já viu isso no Brasil?”
Não desperdice a chance de aumentar seus conhecimentos numa escola em outro país. Quando você chegar, conversará com o orientador da escola para definir como será a sua schedule, sua grade de horários. Escolha aulas correspondentes ao seu nível de conhecimento.

Faça atividades extracurriculares 

“Toda vez que o estudante se envolve numa atividade local, fica mais fácil fazer amigos, entender a mentalidade da cultura em que está inserido e enfrentar esse choque cultural”, diz Florêncio. Você pode praticar algum esporte ou até entrar em um clube.
Os clubes são tradicionais nas escolas norte-americanas e oferecem as mais diversas atividades, como clube de xadrez e clube do filme, ou você pode participar do grêmio estudantil, o student council.

Trabalhe

É bastante comum que os adolescentes norte-americanos tenham empregos para o horário após a escola ou até mesmo nas férias. Legalmente, você não pode ter vínculo empregatício com qualquer empresa, mas você pode ter atividades que não interfiram nos seus estudos.
“Recomendamos por ser uma chance de praticar o idioma e ter uma experiência diferente de casa e escola. Você pode cortar a grama do vizinho, ser babá ou até mesmo fazer trabalhos não remunerados”, aconselha. Algumas escolas podem exigir o trabalho não remunerado como parte da grade curricular, dependendo do Estado.

Você pode estranhar o Brasil quando voltar - e isso também é normal 

Ao voltar, você vai precisar reaprender a viver no Brasil. Sim, ter passado um semestre ou um ano morando em outro país, com uma cultura bem diferente da nossa, vai mudar você e como você percebe muitas coisas.
“A gente acaba estranhando o Brasil quando volta. Calma, tenha paciência, você precisará reaprender a viver aqui. Saiba que é um processo normal, é um choque cultural ao contrário”, diz.

Pense em possibilidades para depois do seu retorno 

Para você que está cursando o high school no exterior ou voltou agora, fique atento. As oportunidades que você pode ter fora do país são inúmeras, e agora que você já sabe se virar sozinho em outro lugar, considere alternativas para a sua formação.
“Quarenta por cento dos alunos que fazem intercâmbio pela STB acabam fazendo outro programa fora do país, seja de idioma ou profissional”, Florêncio comenta. Você pode fazer uma universidade fora, buscar uma pós-graduação, aprender outro idioma e até mesmo trabalhar.

 

 

 

Voltar

Siga-nos

;
FALE AGORA COM A GENTE!
Maximizar aba
FALE AGORA COM A GENTE! Minimizar aba

O Atendimento Online do STB está disponível de segunda à sexta, das 9h às 19h e aos sábados das 10h00 às 13h00

Se preferir, clique aqui para enviar uma mensagem para nós e receba informações detalhadas sobre nossos produtos.