• Mapa
  • Televendas (11) 3038-1551

Sala de Imprensa

Rota de fuga

Data: 16/03/2012
Fonte: Jornal Ipanema -BR

No retorno, leva vantagem quem conheceu mais lugares e tem perspectivas no Brasil, diz Marina Motta, gerente de intercâmbio do STB (Student Travel Bureau), em Recife. “Nada como conhecer outro lugar para se desapegar do ‘primeiro amor’”, diz. A gerente fez 11 intercâmbios de 1996 a 2001. No primeiro, tinha 14 anos. “No começo, sua base de comparação é pequena, então você supervaloriza o que é de fora. Adicionar outros países e valores na balança ajuda a ver que toda cultura tem seus pontos baixos”. Aos 15, Marina tinha duas certezas: não iria morar no Brasil nem casar com brasileiro. Hoje, aos 30, mora em sua cidade natal e é casada com um rapaz que cresceu perto de sua casa. “As primeiras viagens são de deslumbre, tudo é perfeito. Depois a gente cria casca e passa a ser mais justo com o Brasil”. A economia do país, acredita, ajuda a reduzir a depressão da volta: “Alguém em início de carreira tem mais chances aqui do que na Europa”.
Voltar

Siga-nos

;
FALE AGORA COM A GENTE!
Maximizar aba
FALE AGORA COM A GENTE! Minimizar aba

Preencha os campos abaixo para iniciar o atendimento: